Pages

Ads 468x60px

quinta-feira, 7 de julho de 2011

StarGate

Sinopse da Wikipedia:

O filme começa em 1928 em Guizé ou Gizé, Egito, onde uma tumba gigantesca é descoberta. A filha do arqueólogo-chefe da expedição pega para ela um amuleto com inscrições e o simbolo do deus Ra, que estava no local das escavações.
Ao passar para os dias atuais, é mostrado o egiptologista Daniel Jackson participando de um simpósio, onde defende suas teorias sobre a Grande Pirâmide de Queóps ou Kufu, de que a mesma não poderia ter sido construída na Quarta dinastia dos faraós egípcios, que é a versão aceita oficialmente. Ridicularizado e posto de lado pelos seus colegas cientistas, e deixado para trás no meio de sua apresentação, ele se retira desconsolado. No entanto, uma mulher idosa usando um colar de Ra, que havia assistido parte de sua palestra, o procura, e o convida a participar das traduções de antigos hieroglifos.
Jackson volta a encontrar a mulher e o amuleto numa instalação militar dos Estados Unidos da América, nas montanhas Creek no Colorado. A mulher se apresenta então como Catherine Langford, a menina do início do filme. Jackson traduz (na verdade, corrige a tradução) do amuleto que fala estar o deus-sol Rá no céu distante e que há um portal para as estrelas (Stargate). O coronel aposentado da Força Aérea, Jonathan “Jack” O'Neil então chega e declara essa informação como secreta, impedindo que Jackson a divulgue. Os militares passam a informar Jackson sobre o Stargate, o círculo de pedra encontrado nas escavações de Gizé. Jackson então traduz os símbolos constantes no "Stargate", como constelações e que uma delas é o ponto de origem, provavelmente um planeta. O planeta então é chamado de Abydos, na Galáxia Kalium. Jackson convence os militares a formar uma equipe para usar o portal, pois ele quer ver os prováveis simbolos do outro portal, o do planeta Abydos. O'Neil então liderará a equipe que vai usar o portal.


--------------------------------------------------------------------

CineBostinha: Considerações iniciais: O filme marcou época (é de 1994) e muito do que chamamos de cliché hoje, na época era menos reconhecido como tal e menos explorado. Sou um admirador de ficção científica e não poderia chamar este filme de ruim, mas de puramente mal-aproveitado, em diversos sentidos e níveis. StarGate mereceu um lugar no CineBostinha não pela história ou inovações de enredo, mas pela falta de foco e público-alvo, o que fez o filme se tornar mais um "sessão da tarde genérico" para todos os públicos e no final não surpreende nenhum. Fica no meio da balança entre " não ser muito intrincado para os que não entendem e não ser muito bobo para os que gostariam de algo mais profundo sobre o tema", se tornando então um filme chato e raso, mesmo tendo tudo para ser melhor aproveitado...

Atuação(ou aturação): Mediana, nada muito notável pra mais- algumas notáveis pra menos: A atu(r)ação dos nativos-escoteiros-mirins também não é lá essas coisas. Bom, nada impactante, nada a comentar.

Efeitos: Bons para a época, mas dei uma risada ao ver como os capacetes funcionavam, agora mesmo assistindo. Tirando os capacetes, os efeitos são bons, como a transição do portal e como seria uma viagem nele.

Ambientação: Deserto, areia, cidadezinha... Uma pirâmide que encaixa na outra, tecnologia alienígena misturando-se com a arcaica civilização daquele planeta... Poderia ser melhor explorado, mas...

Música: Sério, só toquei neste ponto para dizer que, mesmo que a música-tema seja grandiosa e graciosa, bem trabalhada e ornamentada, não combina com maioria das cenas do filme! Parece que estamos vendo o filme num ritmo e a trilha sonora em outro, dá uma sensação de desconforto e não sabemos o que esperar: Se é algo mais imersivo-apoteótico-introspectivo da música ou algo mais ação-descobertas-suspense-clímax que as cenas nos levam a crer que teríamos a seguir. No final, nem um nem outro. O filme fica assim: Morno pra frio, até o final.

Figurino: Morno também, mas dá para o gasto. O ponto forte foi a indumentária do Alien e dos seus lacaios... Principalmente os capacetes, mas antes de arrancar uma risada ao apertar aquele botãozinho lateral...

Bom, este filme figura o CineBostinha por ser mais um filme que tinha tudo para ser muito bom e por falta de foco e atenção ficou mais um genérico, como já dito.

StarGate é chato a maioria do tempo, te prende só por alguns momentos com promessas de reviravoltas ou momentos mais tensos, porém ele como um todo é muito previsível (dá pra apostar - e ganhar - com o que vai acontecer a seguir na maioria das cenas) além de ter cenas um tanto inúteis ou só para encher linguiça.

Para exemplificar, temos a cena do Daniel sendo puxado pelo pé, pelo bisão-camelo-animatrônico, cenas que tentam comédia tbm, que tentam drama (como o Nabeh correndo para seus colegas na trincheira)... Que tentam de tudo e quase não conseguem resultado.

Ah, e sempre que eu vejo o Nabeh com a turminha dos escoteiros-mirim, penso em "A Caravana da Coragem" e os Ewoks... Daí perde-se o resto da dignidade do elenco de apoio.

E o filme só nos faz pensar que tá começando a ficar bom, às 1h e 24 minutos do filme (director's cut) quando o Daniel acorda da câmara de cura e vai falar com o Alien e este lhe fala sobre a bomba e sobre a sua civilização. Mas depois desanda novamente.

Cheio de recursos de conveniência para o andamento da história, erros de continuidade e localização que também se tornam convenientes, daquele jeitão todo "Sessão da Tarde" de ser. Quase um "Goonies Militares e o Portal das Aventuras"

Posso encerrar por aqui, dando duas bostinhas de nota para este filme. Humm... Darei duas bostinhas para ele por ter sido muito chato e mal aproveitado. E despeço-me desviando das pipocas e miniaturas de Enterprises que jogarão em mim.

Espero que os outros dois filmes não entrem para o CineBostinha também...


Nota:  

Especial: Parte do rascunho da postagem original e principais acontecimentos do filme, além de provável verdadeiro final (contém spoilers, então devem clicar para aparecer o texto e ainda selecionar pra ficar legível):



Um portal é escavado aqui na Terra.
Daniel, o autêntico nerd desacreditado em suas teorias recebe um amuleto com o Olho de Rá.
É então chamado pelos militares para desvendar uns símbolos naquilo que ele nem sabia ser um portal.
Conseguem decifrar, então há uma pequena animação mostrando eles viajando para um lugar beeeeeem distante e para detalhar, alguns efeitos da "viagem".
Eles se vêem num grande deserto, despreparados e sem saber a combinação de símbolos pra voltar pra casa.
O filme enrola um pouco e uma "cômica" cena da aproximação de Daniel com um camelo-bisão-animatrônico e ele comendo farofa sendo puxado pelo pé, no estilo Trapalhões.
Assim, seguindo as leis da conveniência, encontram uma cidadezinha.
Conseguem comunicação com eles, trocam espelhinhos e isqueiros, são agraciados com comida em troca, além da oferta de favores pecaminosos (negados) de uma mulher que de cara sabemos que fará um parzinho romântico com o nerd protagonista.
Uma nave espacial em forma de pirâmide acasala com a pirâmide original construida naquele planeta distante.
A equipe de soldados treinados é dominada por soldados com palitos-que-atiram-com-grande-intervalo-de-fogo.
O capitão-sou-fodão e o nerd-cabaço invadem a pirâmide acasalada com a cara e a coragem.
Momento "WTF?!?" quando o capitão-sou-fodão descobre que a bomba SUMIU!
Cenas de CG lindas pra 1994 que me fizeram dar uma risada (quando o pessoal desmonta os capacetes em forma de cabeças de animais)...
Apresentação do chefão e da creche dele.
Agora sim o filme começa a ficar interessante: O Alien fala pro Daniel que a bomba que eles levaram pra lá seria devolvida à Terra com minerais deles, o que aumentaria em 100 vezes seu poder destrutivo. Mallandro! Pegadinha do Rááá!
Então a Caravana da Coragem se reúne para ajudar e acabar com a escravidão.


Agora a ação começa:


O nerd-cabaço é então obrigado a matar seus coleguinhas pra provar que só o Alien pode ser o deus Rá do povo.
Daniel então vai (ele iria mesmo???) matar seus compatriotas mas recebe uma rajada de luz emitida por um espelhinho que deram aos nativos em troca de especiarias... Então Daniel ajusta o zoom dos óculos e vê que eles tem ARMAS! As armas do acampamento militar agora estão com o povo! É guerra civil! Eles aprenderam a usar armas avançadíssimas praquela época mesmo num outro planeta, mesmo a leitura e escrita sendo proibidas, mesmo sabendo dos diversos incidentes que poderia ter ocorrido testando armas estranhas que nem se sabe qual a posição que devem ser seguradas! Daniel faz aquilo que todos já esperavam, que era atirar no Alien. Não, erra o tiro e acerta o chão.


Daí o povo armado só apontam pro alto e dão uns tiros pra cima. Só. Nada de mirar nos inimigos.
Daniel e outros fogem no bisão-camelo numa velocidade alucinante de 10km/h desviando em linha reta dos tiros.


Daí o filme fica chato de novo. Vou pular pra algo interessante.


Depois de cenas irrelevantes, algo bem conveniente: O nativo desenha um símbolo na parede, o dia de sua vitória, e olha só, nem precisamos ver o final pra apostar que este é o símbolo que faltava no portal...
Armam uma invasão à pirâmide...
... São descobertos...
... Usam o armamento militar nos soldados de Rá e descobrem que sangram faíscas...
... Ai que preguiça com esse filme...
Bom, já está no finalzinho...
Aconteceram mais algumas coisas, mas não vou estragar mais ainda as surpresas.


Ah vou sim! O nerd-não-mais-cabaço fica naquele planeta, onde é um herói (claro, lá ele conseguiu não-sabe-ainda-como uma esposa, coisa que nem se voltasse à Terra dele conseguiria). Ou será que não passou pelo portal de volta pq não tinha certeza de que aquele era o símbolo certo e não queria arriscar o couro caindo num planeta desconhecido ou no meio do vazio?...


O filme foi muito mal aproveitado. Claro que em 1994 não tínhamos ainda a enxurrada de filmes com "o escolhido", mas esse filme consegue ser decepcionante. Faltou maturidade na apresentação do enredo, e o filme é cheio de cenas inúteis ou ridículas... Sem contar o visual dos nativos, meio "Xena do deserto" com os dentes perfeitos, cabelos cuidados e pele lisa, salvo roupas em trapos, isso tá ok.

Provável verdadeiro final:

Tudo indica que eles caíram no nada e que o nerd ferrou com todos aqueles militares que fizeram bullying no começo do filme... Eles foram pro portal e nada de aparecer eles reentrando na Terra ou a conclusão, mas no final do portal tem o "The End"... O fim, o término, o nada, o vazio, a morte do pelotão e o Daniel rindo curtindo a vida de novo rei daquela civilização. E duvido que não tenha virado um tirano ainda pior...

0 comentários:

Postar um comentário

 

Carteirinha Vip

Bilheteria